domingo, 4 de setembro de 2011

Póstuma

Eu poderia ser a pessoas mais ruim e rancorosa do mundo. Desejaria que você encontrasse em alguém o mesmo amor que eu encontrei em ti. E que depois disso você tivesse que perdê-lo assim como eu tenho que te perder. Talvez dessa forma você perceberia e sentiria o tamanho e a grandeza da dor que estou sentindo e enfrentando nos últimos tempos, pois, mesmo você dizendo que sim não consigo perceber que para você seja difícil olhar para mim e dizer não. Realmente poderia querer que isso acontecesse contigo se não fosse a minha alma que morasse nesse corpo já surado. Acredito que o verdadeiro amor, este que sinto por você, seja capaz de modificar quase tudo ao redor. Ele só não consegue modificar a si mesmo, e dessa forma quem o trás dentro do peito. Quem realmente ama sofre. Quem realmente ama não se importa com o sofrimento, desde que esse seja emanado por você. Por esses motivos já me acostumei com o sofrimento e, com o perdão da retórica, desejo com todas as minhas forças que você jamais encontre em alguém o amor que eu pude encontrar em ti. Desejo isso, mesmo parecendo cruel, porque me preocupo contigo. Na verdade eu simplesmente te amo. E devido a isso não gostaria que você sofresse e passasse pelo que venho enfrentando devido ao amor. Concluo assim que o amor é um sentimento único. Um sentimento antagônico. É um sentimento eterno. Quem o possui sempre o possuirá. Para mim só me resta guardá-lo em um lugar que seja confortável e que possa encontrá-lo sempre quando quiser te desejar bem. Poderá passar séculos e o que sinto por você viverá... Eu te amo. Eu sempre te amei. Eu sempre vou te amar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário